Shirley.comtudo
Open Panel
Shirley

A capital recebeu doses suficientes para vacinar todos os idosos entre 65 e 69 anos, diz secretário

Boa Vista é o município que tem recebido o maior quantitativo, totalizando 63.259 doses desde o início da campanha. Seguindo o planejamento elaborado de acordo com o PNI (Plano Nacional de Imunização)

O Governo de Roraima tem mantido o planejamento de distribuição de vacinas para todas as regiões do Estado e, graças ao trabalho planejado da CGVS (Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde), executado pelo Nepni (Núcleo Estadual do Programa Nacional de Imunização), das 165.060 doses recebidas do MS (Ministério da Saúde), 143.901 doses já foram distribuídas para todos os municípios, o que representa mais de 87% do total recebido até agora.

A capital Boa Vista é o município que tem recebido o maior quantitativo, totalizando 63.259 doses desde o início da campanha. Seguindo o planejamento elaborado de acordo com o PNI (Plano Nacional de Imunização), a capital recebeu 7.700 doses da vacina CoronaVac, destinadas à administração da primeira dose e 4.700 vacinas CoronaVac, destinadas à aplicação da segunda dose, para vacinar todo o grupo prioritário de 65 a 69 anos.

“Esse repasse é resultado de uma avaliação técnica, com base na estimativa populacional do MS e temos seguido à risca todos as diretrizes estabelecidas pelo Plano Nacional nesse sentido, fazendo sempre a distribuição para que a imunização seja garantida, ou seja, repassando o quantitativo necessário para que a população-alvo seja imunizada”, esclareceu o secretário de saúde, Marcelo Lopes.

Seguindo o planejamento, o quantitativo de doses aplicadas pelos municípios é acompanhado pelo Sistema de informação do Programa Nacional de Imunizações. Conforme o secretário, o sistema mostra que o município de Boa Vista aplicou 6.216 primeiras doses e 3.775 segundas doses com imunizantes do laboratório CoronaVac/Butantan, quantitativo inferior ao total de doses enviadas para este público, ou seja, o desabastecimento não foi provocado pelo quantitativo insuficiente de doses, conforme alegou a Prefeitura de Boa Vista nesta quarta-feira, 21.

De acordo com a coordenadora geral de Vigilância em Saúde, Valdirene Oliveira, as pautas de distribuição tem sido feitas semanalmente pela equipe técnica do PNI com todas as orientações para todos os municípios, inclusive sobre população prioritária, de acordo com os Planos Nacional e Estadual e a quantidade de pessoas conforme estimativa populacional.

“Esse processo é superimportante, pois garante o abastecimento contínuo, como também as datas em que as vacinas precisam estar com os municípios e nas salas de vacinas para dar continuidade à vacinação, sendo elas primeira e segunda dose”, complementou a coordenadora.

O secretário Marcelo Lopes reforçou que o quantitativo de doses aplicadas pelo município é acompanhado pelo Sistema de informação do Programa Nacional de Imunizações. "Vale reforçar que, para o trabalho de distribuição de vacinas recebidas pelo Ministério da Saúde, o Governo de Roraima montou uma força-tarefa para manter a logística de forma organizada e segura, garantindo a agilidade que o processo necessita”, enfatizou o secretário.