Shirley.comtudo
Open Panel
Shirley

Estácio completa 20 anos em RR contribuindo para formação de profissionais

Em duas décadas, Estácio se destacou no mercado em inovação

O Centro Universitário Estácio da Amazônia completa 20 anos de atuação em Roraima, contribuindo para a formação de grandes profissionais e aperfeiçoamento do mercado local.

A reitora Brena Linhares informou que a instituição faria uma solenidade para celebrar as duas décadas de aniversário, mas devido a pandemia da Covid-19, a programação de homenagem de colaboradores e ex-alunos precisou ser adiada para uma data futura. Ela ressaltou também os desafios de promover educação superior, mantendo a qualidade dos serviços, nesse período de pandemia. “Todos fomos pegos de surpresa, mas a Estácio deu uma resposta muito rápida para o mercado e em uma semana conseguimos colocar a plataforma TEAMS em funcionamento, de forma que os alunos não fossem prejudicados e ficassem sem aulas”, disse.

Brena salientou que a Estácio sempre se destacou no mercado da educação quando o assunto é inovação. “Com a ajuda da tecnologia pudemos nos reinventar. Utilizamos as ferramentas tecnológicas para formar uma nova sala de aula, ao vivo, via web, pensando na saúde da comunidade acadêmica e sem atrasar o calendário acadêmico dos nossos alunos”, afirmou ao comentar que a situação crítica foi encarada pelo grupo como fator motivador. “Os novos tempos foram desafiadores e motivadores para sairmos da comodidade. Os alunos precisaram se adaptar e os professores mudaram para chamar a atenção dos alunos. Encaramos isso com uma atitude positiva”, explicou

A Estácio em Roraima nasceu com o início das atividades da Faculdade Atual da Amazônia, no ano de 2000, ofertando cursos de pós-graduação em convênio com a Universidade Federal de Roraima (UFRR), e com aulas que aconteciam nas salas da escola Colméia. No ano seguinte, saiu o credenciamento do Ministério da Educação para o curso de Administração de Empresas.

A instalação no campus próprio da faculdade aconteceu no ano de 2002. No mesmo ano, houve a autorização pelo MEC do curso de Ciências Contábeis. O curso de Direito foi autorizado em 2004. Com menos de 10 anos de funcionamento, a faculdade recebeu do MEC a nota máxima para avaliação institucional, em 2007. Em 2011, o Grupo Estácio adquire a Faculdade Atual da Amazônia, e em 2015, a instituição conseguiu credenciamento do Centro Universitário com nota máxima conferida pelos avaliadores do Ministério da Educação e aprovação por unanimidade pelo Conselho Nacional de Educação.

Atualmente, o Centro possui uma comunidade acadêmica formada por 97 professores e 58 técnicos na área administrativa. O IGC (Índice Geral de Cursos) é 3, na escala que vai até 5. A Estácio mantém em torno de cinco mil alunos divididos em seu portfólio, que conta com 16 cursos presenciais, mais 17 cursos flex (quando parte do ensino é presencial e parte à distância), oito cursos semipresenciais e mais 78 cursos EAD (Ensino à Distância).

Esse ano, o Centro Universitário Estácio da Amazônia conquistou o título de diamante no Programa Excelência em Gestão (PEG), concorrendo com 90 unidades do país. O PEG Brasil avalia anualmente os processos administrativos e acadêmicos de todas as unidades do grupo Estácio em 20 estados brasileiros. A evolução na qualidade das ações do Centro Universitário é confirmada todos os anos, desde 2014, quando começou a ficar entre as 10 melhores unidades do Brasil do programa, inclusive, conquistando duas vezes o terceiro lugar. A área Administrativa Financeira foi campeã em 2021 pela sexta vez consecutiva, nesta categoria. O programa foi criado para avaliar anualmente os processos e metas da companhia em diversas áreas de atuação, visando sempre a melhoria do serviço apresentado na ponta, que é o atendimento ao aluno que está buscando uma formação profissional.

O campus possui 150 mil metros quadrados, com mais de 14 mil metros de área construída. São 75 salas de aula, 32 laboratórios específicos, como a minifazenda com mais de dois hectares para o desenvolvimento de fruticultura e piscicultura, e mais nove laboratórios de informática, além de auditório com capacidade para 280 pessoas. Toda essa estrutura é totalmente adaptada para portadores de necessidades especiais e possui segurança interna.